PM que matou a mulher tem prisão temporária decretada pela Justiça

Cabo PM Bonfim e a esposa, Ana Rita: fim trágico de um relacionamento

A Justiça converteu o flagrante em prisão temporária para o policial militar detido logo após  por matar a esposa, na noite da última quinta-feira (8), na Avenida Silas Munguba, em Fortaleza. De acordo com informações do órgão e de parentes da vítima, o cabo PM Manuel Bonfim dos Santos efetuou quatro disparos na companheira, Ana Rita, sendo um deles à queima-roupa.

Logo após o crime, o homem foi conduzido à Delegacia de Defesa da Mulher de Fortaleza (DDM-Fortaleza) e chegou a ser autuado em flagrante por feminícidio. No inicio desta tarde da última sexta-feira (9), um laudo preliminar da Policia Civil (PC), divulgado por parentes da vítima ao O POVO, revelou a violência da ação e Bonfim teve a prisão provisória decretada.

“No que diz respeito à necessidade da prisão provisória, verifico que a vítima, namorada do flagranteado, foi alvejada com um tiro no olho, fato ocorrido dentro do carro onde ambos estavam(…) Gravidade (do crime) é inegável e foi perpetrado em contexto de violência doméstica e familiar contra a mulher”, dizia determinação dada pela 17ª Vara Criminal – Vara de Audiências de Custódia de Fortaleza.

Tiros no rosto

Na ocasião que antecedeu os disparos, Bonfim e a vítima jantavam em um restaurante para comemorar o aniversário da filha que o homem tinha de outro casamento. Na volta para a casa, após deixar a garota, o policial e a esposa discutiram e Bonfim efetuou quatro disparos no rosto de Ana Rita enquanto ela dirigia o carro.

Em seguida, ele saiu do veículo pedindo por ajuda e ligou para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), chegando a alegar ainda que estava arrependido. Segundo relatos de parentes, minutos antes de o crime acontecer, Ana havia informado para a sua mãe que Bonfim estava “descontrolado”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *